Manutenção corretiva ou preventiva?



Seu carro apresenta um defeito. O que fazer? É evidente que v. vai efetuar o que chamamos de manutenção corretiva, ou seja, corrigir um defeito que ocorreu. E isto normalmente acontece quando v. mais necessita do seu transporte pessoal. Este fato é quase uma “tradição” do motorista brasileiro que não possui o hábito de efetuar a manutenção preventiva, cujo valor agregado é, sem sombras de dúvidas, muito menor financeiramente e evita o transtorno de pega-lo de surpresa em determinado momento. Isto sem falar que nesta manutenção são corrigidos “futuros” defeitos cujo reparo, ao ocorrerem, trariam um prejuízo muito maior.
Injustificadamente a “falta de tempo” é a vilã da estória.
Há motoristas que alegam falta de tempo para deixar o veículo na revisão, outros afirmam que suas seguradoras lhe enviarão um socorro mecânico "gratuito" em caso de pane e há aqueles que acham que, enquanto o veículo estiver rodando, é sinal que está tudo bem.
O que a maioria desconhece é que, além dos transtornos que um defeito pode causar, ficar parado sabe-se lá onde, enquanto aguarda o socorro mecânico é um risco desnecessário e que pode ser evitado.
A falha de um único componente pode causar danos em um conjunto ou sistema completo. Veja o exemplo: O filtro de combustível impede que impurezas contidas no combustível ou mesmo no tanque cheguem às válvulas injetoras. Quando o intervalo de troca recomendado pelo fabricante não é observado, a saturação do filtro passa a  exigir da bomba de combustível uma corrente elétrica acima da ideal. A bomba trabalhando forçada pela sobrecarga tende a se queimar, imobilizando o veículo. Vale lembrar que o custo de um filtro é dezenas de vezes inferior ao de uma bomba de combustível elétrica.
Com a manutenção preventiva é possível fazer um planejamento dos gastos com base na quilometragem percorrida mensalmente. Seu mecânico de confiança pode determinar com você quais são as prioridades de manutenção naquele momento, ou seja, o que realmente precisa ser substituído de imediato, ou apenas ajustado e o que pode esperar mais alguns quilômetros ou alguns meses.
Se você possui o manual do veículo essa tarefa fica ainda mais fácil, pois a montadora já fez o plano de manutenção para o seu carro, bastando seguir as orientações do manual.


FREIO: SEGURANÇA EM PRIMEIRO LUGAR
O freio é um dos itens mais importantes na manutenção do seu carro. Hoje os sistemas de freio são mais confiáveis pois possuem circuito duplo, porem, para seu perfeito funcionamento depende que o usuário execute periodicamente revisões. Sempre que possível o manual do proprietário deve ser seguido no que diz respeito a estas manutenções.
Discos e/ou tambores, pastilhas, fluídos e mangotes necessitam de ser periodicamente verificados. Esta freqüência dependerá das condições de uso do veículo, da forma como é conduzido e principalmente do piso onde roda.Quando as pastilhas de freio estiverem para ser trocadas é importante verificar o desgaste dos discos de frenagem. Se houve atrito da sapata de ferro das pastilhas com o disco será necessário a troca dos discos. Mesmo que não tenha havido este atrito sua espessura deverá ser medida, observando-se aquela indicada pela montadora do veículo em seu manual.
No caso dos tambores de freio é recomendável sua retífica quando for efetuada a troca das lonas.
O fluido de freio
é higroscópico, ou seja, absorve água do meio ambiente. Devido a isto ele passa a corroer parte do sistema de frenagem, além de que a água que o está contaminando se espande reduzindo sua capacidade de frear. Ele deve ser substituído a cada 30.000 km ou após um ano de uso, por um que atenda as exigências e especificações da montadora.
Observe no painel do seu carro a luz indicadora do freio. Se estiver acesa constantemente é porque seu sistema está com um possível vazamento.
Nunca sobrecarregue seu carro acima da capacidade estipulada pelo fabricante pois acarretará num esforço extra do sistema de freios.
Utilize, na reposição, sempre pastilhas, fluido ou lonas originais ou de fabricante de primeira linha.
Não deixe de solicitar seu mecânico de confiança que faça uma manutenção preventiva pelo menos duas vezes ao ano.

Jamais se esqueça de que sua vida, de seus familiares e de outras pessoas dependem de um sistema de freios funcionando perfeitamente.